em

Filhós de Joelho. O Natal dos nossos tempos de criança!

Estas filhós, também conhecidas como filhós da Beira por serem típicas desta região de Portugal, devem o seu nome à forma tradicional como eram tendidas, nos joelhos, pelas mulheres, que o faziam à lareira, sentadas num banco. A sua forma própria, cavada ao centro e com os bordos volumosos e fofinhos, faz as delícias de miúdos e graúdos. Por associação à forma original destes doces, qualquer filhós que fosse preparada com este formato, nas Beiras ou noutras regiões do país, passou a ser designada Filhós de Joelho.

A sua confeção faz-nos lembrar os nossos tempos de criança, em que vivíamos intensamente a azáfama de um Natal tradicional, vendo maravilhados a preparação dos doces e dos pratos que iriam compor a mesa da consoada.

Além de serem muito saborosas, estas filhós mantém-se durante vários dias e, mesmo já durinhas, são ótimas com uma chávena de café. Podem também ser congeladas, mantendo a sua forma e textura originais quando forem consumidas.

Ingredientes:

  • 1 colher (café) de sal
  • 1 kg de farinha de trigo
  • ½ cálice de aguardente
  • 250 ml de azeite
  • 10 ovos grandes
  • 30 g de fermento biológico
  • leite morno q.b.
  • açúcar e canela p/ polvilhar

Confeção:

Desfaça o fermento num pouco de leite morno e junte um pouco de farinha para formar uma papa. Deixe levedar numa tigela.
Ponha a farinha num alguidar grande, tendo em conta que a massa irá crescer muito, e junte o sal.

Leve o azeite ao lume e, quando estiver quente, retire-o e vá despejando sobre a farinha, mexendo bem com uma colher de pau, para escaldar toda a farinha. Esfarele depois a massa com as mãos para que não fiquem grumos.
Junte o fermento, que nessa altura deverá ter duplicado de volume, junte os ovos um a um.

Amasse bem e bata a massa, como se faz para o pão.
Acrescente a aguardente e continue a bater até obter uma massa macia. Se necessário, enfarinhe as mãos para que a massa não se cole. A massa estará pronta quando começar a fazer bolhas.
Deixe levedar cerca de 4 ou 5 horas, num local resguardado de correntes de ar, cobrindo o alguidar com um pano branco e uma manta. Quando a massa duplicar de volume, estará pronta para fritar.

Coloque bastante óleo numa fritadeira e leve ao lume.

Com as mãos untadas em azeite, retire pequenas bolas de massa e tenda-a, evitando fazer buracos, utilizando o joelho para lhe dar forma. À medida que as vai fazendo, mergulhe no óleo não demasiado quente e, com a ajuda de 2 garfos, vá-as mexendo e virando para fritarem uniformemente.
Depois da fritura, coloque as filhós sobre papel absorvente, a fim de filtrar a gordura em excesso. Por fim, polvilhe com açúcar e canela.

Fonte: Doces Regionais

O que achou desta receita?

Mousse de whisky. Surpreenda a sua familia no Natal!

Pão de Ló com doce de ovos. O clássico dos clássicos!